n

Um Sistema Operacionalé um Programa ou um conjunto de Programas cuja função é gerenciar os recursos do Sistema (definir qual programa recebe atenção do Processador, gerenciar Memória, criar um Sistema de Arquivos, etc.), além de fornecer uma Interface entre o Computador e o usuário. É o primeiro Programa que a Máquina executa no momento em que é ligada, num processo chamado de Bootstrapping e a partir de então, não deixa de funcionar até que o Computador seja desligado. O Sistema Operacional reveza sua execução com a de outros Programas, como se estivesse vigiando, controlando e orquestrando todo o Processo Computacional.

A primeira tentativa de junção de Hardware e Sistema Operacional, segundo Tanembaun (1999), ocorreu quando Ada Lovelace fora contratada como Programadora (o nome Linguagem de Programação Ada foi criado em sua homenagem) com intuito de fazer um Software para um Motor Analítico – conhecido como o primeiro Computador Digital verdadeiro – projetado pelo Matemático Babbage (1792-1871).

A base do Sistema Operacional era um Programa Monitor, usado para enfileirar tarefas (Jobs). O usuário foi afastado do Computador; cada Programa era escrito em Cartões Perfurados, que por sua vez eram carregados, juntamente com o respectivo Compilador (normalmente Fortran ou Cobol), por um operador, que por sua vez usava uma Linguagem de Controle chamada JCL (Job Control Language).

No início da Computação os primeiros Sistemas Operacionais eram únicos, pois cada Mainframe vendido necessitava de um Sistema Operacional específico. Esse problema era resultado de Arquiteturas diferentes e da Linguagem de Máquina utilizada. Após essa fase, iniciou-se a pesquisa de Sistemas Operacionais que automatizassem a troca de tarefas (Jobs), pois os Sistemas eram monousuários e tinham Cartões Perfurados como Entrada (eliminando, assim, o trabalho de pessoas que eram contratadas apenas para trocar os Cartões Perfurados).

Um dos primeiros Sistemas Operacionais de propósito geral foi o CTSS desenvolvido no MIT Após o CTSS o MIT, os Laboratórios Bell da AT&T e a General Eletric desenvolveram o Multics cujo objetivo era suportar centenas de usuários. Apesar do fracasso comercial, o Multics serviu como base para o estudo e desenvolvimento de Sistemas Operacionais. Um dos desenvolvedores do Multics, que trabalhava para a Bell, Ken Thompson começou a reescrever o Multics num conceito menos ambicioso, criando o Unics (em 1969), que mais tarde passou a chamar-se Unix Os Sistemas Operacionais eram geralmente programados em Assembly, até mesmo o Unix em seu início. Então, Dennis Ritchie (também da Bell) criou a Linguagem C a partir da Linguagem B que havia sido criada por Thompson. Finalmente, Thompson e Ritchie reescreveram o Unix em C. O Unix criou um Ecossistema de versões, onde destacam-se: System V e derivados (HP-UX, AIX); família BSD FreeBSDNetBSDOpenBSD etc. Linux e até o Mac OS X que deriva do Mach e FreeBSD

Na década de 1970, quando começaram a aparecer os Computadores Pessoais, houve a necessidade de um Sistema Operacional de utilização mais fácil. Em 1980, William (Bill) Gates e seu colega de faculdade, Paul Allen, fundadores da Microsoft, compram o Sistema QDOS (“Quick and Dirty Operating System”) de Tim Paterson por $50.000, batizam-no de DOS (Disk Operating System) e vendem licenças àIBM O DOS vendeu muitas cópias, como o Sistema Operacional padrão para os Computadores Pessoais desenvolvidos pela IBM. IBM e Microsoft fariam, ainda, uma parceria para o desenvolvimento de um Sistema Operacional Multitarefa chamado OS/2 Após o fim da breve parceria, a IBM seguiu sozinha no desenvolvimento do OS/2.

No começo da década de 1990, um estudante de Computação finlandês postou um comentário numa Lista de Discussão da Usenet dizendo que estava desenvolvendo um Núcleo de Sistema Operacional e perguntou se alguém gostaria de auxiliá-lo na tarefa. Este estudante chamava-se Linus Torvalds e o primeiro passo em direção ao tão conhecido Linux foi dado naquele momento.

O Sistema operacional precisa basicamente de três elementos:

Hardware,  Software e Dados

Um Sistema Operacional possui as seguintes funções:

– Gerenciamento de Processos

– Gerenciamento de Memória

– Sistema de Arquivos

– Entrada e Saída de Dados

Os Sistemas Operacionais fornecem abstração de Hardware para que seus recursos possam ser usados de maneira correta e padronizada, mas para ser possível operar um Computador, é necessário fornecer também uma Interface para que o usuário possa desfrutar dos recursos do Sistema. Atualmente existem três tipos de Interface: GUI (Graphical User Interface) ou Interface Gráfica, TUI (Text User Interface) ou Interface Textual e CUI (Command-Line User Interface) ou Interface de Linha de Comando.

n

Edisa e seu Painel com o Monitor, mostrando telas de Sistemas Operacionais antigos

n

Sistemas Operacionais em Ordem Cronológica até 1999:

  • 1990
  • 1991
  • 1992
    • 386BSD 0,1
    • AmigaOS 3,0
    • Amiga Unix 2.01 Última versão estável
    • RSTs / E 10,1 última versão estável, Setembro de 1992
    • Solaris 2.0 Sucessor do SunOS 4.x, com base em SVR4 ao invés da BSD
    • OpenVMS V1.0 Primeira OpenVMS AXP (Alpha) versão específica, Novembro de 1992
    • Plan 9 Primeira Edição Primeira versão pública foi disponibilizada para as universidades
    • Windows 3,1
  • 1993
  • 1994
    • AIX 4.0, 4.1
    • RISC OS 3,5
    • NetBSD 1.0 Primeira versão multi-plataforma, Outubro de 1994
  • 1995
  • 1996
  • 1997
  • 1998
  • 1999
    • AROS Boot pela primeira vez em versão Stand Alone
    • RISC OS
    • Mac OS 9
    • Windows 98 2 ª edição
    • Inferno Second Edition (Inferno Lucent Business Unit) Fontehttp://pt.wikipedia.org

      Este slideshow necessita de JavaScript.